[Desabafo] A ponta do iceberg: sobre o caso da Mari Ferrer

Oh, um pouco de respeito
É, baby, eu quero um pouco de respeito
Agora, eu posso me cansar, mas continuo tentando
Cansei de enganar, não vou mentir
Sim, respeito, só preciso de respeito

Aretha Franklin

Eu preciso falar sobre isso, preciso desabafar sobre isso antes que esse nó me engasgue e me mate asfixiada. Fui novamente nocauteada e jogada no chão sem conseguir respirar. É cruel demais, é uma das piores sensações que já senti. O caso da Mariana Ferrer está me consumindo a alma, é como se tivesse levado um soco no meio do estomago, não consigo respirar me imaginando na situação dela, não consigo controlar a raiva, a revolta, o nojo e a tristeza que me consome toda vez que assisto o vídeo dela sendo humilhada pelo advogado e ignorada pelo juiz.

Resumo do que aconteceu:

O estuprador: André de Camargo Aranha.
O promotor que alegou estupro culposo: Thiago Carriço de Oliveira.
O advogado que humilhou a vítima: Cláudio Gastão da Rosa Filho.
O juiz: Rudson Marcos.

E nada disso é novidade, casos como esses não são raros, pelo contrário, acontece muito mais do que imaginamos, a diferença é que esse nós pudemos ver só 1% do que ela vem sofrendo desde o dia que fez a denuncia e luta pela justiça que é dela por direito. Agora imagina as mulheres que não tiveram coragem pois sabiam que seriam julgadas e invalidadas por qualquer “motivo” ridículo e sem ligação nenhuma com o ocorrido. Ou então, pense nas que tiveram coragem e foram mortas dois dias depois que o estuprador foi solto por “bom comportamento” ou por pagar a fiança, e que mesmo se for pego depois de cometer o assassinato, irá sair novamente da prisão pelos mesmos motivos que saiu na última vez.

O que presenciamos com o caso da Mari é somente esse 1% do que ela passou, e ainda assim é pouco pra todos terem uma noção que as coisas são piores do que vemos. Somos mortas todos os dias pelos motivos mais banais e sem sentido existentes, e acredite que é ainda pior para as mulheres pretas, porque além de ser julgada como mulher, também é julgada por ser preta. Vocês conseguem compreender a gravidade de tudo isso?? É aterrorizante! é motivo suficiente pra não querer sair de casa, e quando sair ainda ter uma crise nervosa ou de pânico pois vai se ver num lugar de vulnerabilidade e exposição virando talvez mais uma vítima que não será escutada. Acredite, é assim que me sinto. Se antes já era difícil, agora é ainda pior. Pois veja, mesmo a mulher sendo branca de classe média alta, influenciadora e tendo comoção nacional não teve justiça no caso dela, imagina para quem é preta, não tem condições e/ou não tem o alcance que ela teve. Isso me atormenta, me tirar o sono, a motivação, a minha paz. É impossível não se sensibilizar com o vídeo, é impossível não se apavorar sabendo que pode ser você ali e que provavelmente o resultado seria o mesmo da Mari e ainda pior.

Admiro profundamente a força e o controle que a Mari teve em escutar tudo e se manter forte até agora, pois muita gente não suportaria a pressão, talvez nem estivesse mais viva pra continuar no processo, pois pra quem já tem tantos problemas pessoais e sociais, situações como essa seriam só um empurrão para a escolha do fim de uma vida inocente vítima de um sistema desumano.

E só consigo pensar que não quero viver assim, eu não quero viver num mundo que não me vê, não me respeita e me viola. Isso tudo é uma grande merda! Está tudo errado, TUDO!! São anos de luta pedindo por respeito, o mínimo de respeito. Passaram-se décadas e parece que ainda estamos no início da largada dessa corrida que parece não ter a faixa de chegada. Até quando vamos ter que continuar correndo? quantas vezes serão necessárias passar o bastão para as próximas gerações para que a gente consiga ter o mínimo?

Meu corpo está fraco, meu peito pesado e minha energia pesada… eu só queria descansar, eu só queria que isso tudo fosse resolvido pra todas. Eu não aguento mais, porém preciso aguentar querendo ou não. Suporto e continuo firme, ou me rendo e sou usada como instrumento de invalidação da luta, calada, meus ideais destruídos, minha vida jogada no lixo e minhas existência apagada, mas não é isso que irei fazer, eles vão me ver, irão se incomodar com a minhas persistência e irão me engolir, pois o mundo não é deles, nunca foi. Está na hora que pegar o que também é nosso por direito. Temos que continuar não só por nós mesmas, mas por todas que continuam e pelas que desistiram. Isso tudo não é só sobre uma mulher, é sobre todas!

“Toda vez que uma mulher se defende, sem nem perceber que isso é possível, sem qualquer pretensão, ela defende todas as mulheres.”

Maya Angelou

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s